Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.esg.br/handle/123456789/897
metadata.dc.type: Monografia
Title: A tecnologia como substituta da ação humana: dilemas do mundo jurídico
Authors: Kauss, Laís Fraga
Advisors: Spiller, Eduardo Santiago
Course: Curso de Altos Estudos de Política e Estratégia (CAEPE)
Keywords: Tecnologia;Administração Pública;Atividade jurídica;Inteligência artificial
Issue Date: 2018
Publisher: Escola Superior de Guerra (Campus Rio de Janeiro)
Abstract: This monograph, using bibliographic methodology, means to identify the consequences and suggest ways to reduce damages due to legal activities automation. It superficially approaches the history of technology evolution as a human activity substitute, showing its importance for the humankind development and for the efficiency of activities, since prehistoric times until the fourth industrial revolution lived nowadays. Principles that command legal activities of lawyers and judges, such as the way doctrine teaches to solve eventual conflicts between them. Reviewing causes and consequences of public services automation, the study reaches the definition of artificial intelligence and the differences between weak and strong artificial intelligence. Finally, it faces the dilemma due to the use of machines in legal activities by applying the theory related to principles presented before and the balance between values, suggesting a way to keep efficiency gains without violating doctrinal principles.
Description: Esta monografia, através de metodologia bibliográfica, tem o objetivo de identificar as consequências e sugerir maneiras de minimizar prejuízos decorrentes da automação das atividades jurídicas. Aborda de forma superficial a história da evolução da tecnologia como substituta da atividade humana, apontando sua importância para o desenvolvimento da humanidade e da eficiência das atividades, desde a era préhistórica até a quarta revolução industrial vivida atualmente. São explicitados os princípios que regem as atividades jurídicas de advogados e magistrados, assim como a forma encontrada pela doutrina para a solução de eventuais conflitos entre eles. Mediante a análise das causas e das consequências da automação das atividades no serviço público, chega-se à definição de inteligência artificial e à diferenciação entre inteligência artificial fraca e forte. Por fim, são enfrentados os dilemas decorrentes do uso da máquina para o desenvolvimento das atividades jurídicas mediante a aplicação da teoria principiológica antes exposta e da ponderação de valores, sugerindo uma forma de manter o ganho de eficiência sem infringir os princípios doutrinários.
URI: https://repositorio.esg.br/handle/123456789/897
Appears in Collections:Coleção de Monografias (Administração)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Lais Fraga Kauss - VF.pdf1.08 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.