Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.esg.br/handle/123456789/1297
metadata.dc.type: Dissertação
Title: O setor Defesa na política externa brasileira: subsídios para o planejamento de forças
Authors: Abreu, Guilherme Mattos de
Advisors: Souza Neto, Danilo Marcondes de
Course: Programa de Pós-Graduação em Segurança Internacional e Defesa (PPGSID)
Keywords: Política externa - Brasil;Diplomacia;Política de Defesa;Entorno estratégico;Planejamento de forças
Issue Date: 2020
Publisher: Escola Superior de Guerra (Campus Rio de Janeiro)
Abstract: Historical records and literature point out that diplomats and military personnel, components of the two state careers closely linked to foreign and defense policies, need to act in harmony. However, in Brazil, this relationship is not always perceived, emphasizing the discourse "foreign policy without security or defense", because it is verified that its formulators imagine to be based in the soft power resources, even though history and day-to-day news indicate that, unfortunately, conflicts are part of human reality and will continue to be so for a long time. the conduct of the brazilian foreign policy, focused on soft power, is a source of criticism, due to its limited effectiveness as a measure of international insertion. This study addresses the theme, pointing out relevant teachings in our history and identifying the employment opportunities of the defense sector as an instrument of Brazil's foreign policy in the current scenario, particularly in its strategic environment, in order to support force planning. It brings in its bulge important benefits for the projection of Brazil, for national security and development. It is noteworthy that the study assumes that foreign policy is a public policy, and, as such, should be formulated and conducted in accordance with the requirements for the implementation of such policies.
Description: Os registros históricos e literatura assinalam que diplomatas e militares, componentes das duas carreiras de estado intimamente ligadas à política externa e à política de defesa, necessitam atuar em harmonia. No entanto, no Brasil, esta relação nem sempre é percebida, ao se conferir ênfase ao discurso “política externa sem segurança ou defesa”, pois se verifica que os seus formuladores imaginam basear-se nos recursos de soft power (poder brando), ainda que a história e o acompanhamento do noticiário no dia-a-dia indiquem que, infelizmente, os conflitos façam parte da realidade humana e assim continuarão por muito tempo. É fato, que a condução da política externa brasileira, focada no soft power, é motivo de críticas, em função de sua limitada eficácia como medida de inserção internacional. Este estudo aborda o tema, apontando ensinamentos relevantes em nossa história e identificando as oportunidades de emprego do setor defesa como instrumento da política externa do brasil no cenário atual, particularmente em seu entorno estratégico, de modo a subsidiar o planejamento de forças. Traz em seu bojo benefícios importantes para a projeção do Brasil, para a segurança e para o desenvolvimento nacionais. Destacase que o estudo tem como pressuposto que a política externa é uma política pública, e, como tal, deve ser formulada e conduzida em conformidade com as prescrições para a implementação de tais políticas.
URI: https://repositorio.esg.br/handle/123456789/1297
Appears in Collections:Coleção de Dissertações (Política Externa)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
dissertação Guilherme Abreu Final.pdf2.22 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.